Uso de smartphone pode estar na origem de casos de depressão

Fonte de Imagem: g1.globo.com

Um estudo feito com mais de 3.400 estudantes das universidades de Chicago, Cambridge e Minnesota, revelou que aqueles que usam mais o smartphone têm maior probabilidade de desenvolver problemas como ansiedade e depressão

Para identificar o uso excessivo do telefone, os estudantes precisaram responder a perguntas como: “Tem problemas para se concentrar na aula ou no trabalho devido ao uso do smartphone?”, “Sente-se irritado ou impaciente sem o seu telemóvel?”, “Acha que a quantidade de tempo que passa nele aumentou ao longo do tempo?”, “Está a sofrer consequências físicas de uso excessivo do telemóvel, como tonturas ou visão turva?”. A resposta “sim” a estas perguntas foi frequente em pelo menos um em cada cinco alunos — 60% do sexo feminino.

Entre aqueles que mais usam mais o telemóvel, os relatos de dois ou mais parceiros sexuais no último ano foi significativamente maior — 37,4% em comparação com 27,2% no grupo daqueles que demonstraram não cometer excessos no uso. Ter seis ou mais parceiros sexuais chegou a ser duas vezes mais frequente entre aqueles que disseram usar demais os seus smartphones.

“A descoberta mais significativa foi que as pessoas que relataram uso problemático dos seus telefones também tinham maior probabilidade de ter um traço de impulsividade, e isso também pode ter um papel no número de parceiros sexuais que elas têm”, afirmou um dos investigadores. “Se isso fosse saudável, esperaríamos uma melhor autoestima e menos problemas de saúde mental, mas a situação se mostrou o oposto disso”, acrescentou.

Outra constatação foi o consumo de álcool significativamente mais alto daqueles que usam de maneira exagerada o telemóvel. Não foi encontrada nenhuma ligação significativa com qualquer outra forma de abuso ou dependência de substâncias.

“É fácil pensar no uso problemático de telemóveis como um vício, mas, se fosse assim tão simples, esperaríamos que ele fosse associado a uma ampla gama de abuso de substâncias, especialmente em uma amostra tão grande. Mas esse não parece ser o caso”, completa o médico.

Pesquisas feitas anteriormente já apontaram ligação entre uso excessivo de smartphones e menor desempenho académico. “Embora o efeito do uso problemático de smartphones nas notas tenha sido relativamente pequeno, vale a pena notar que mesmo um pequeno impacto negativo pode ter um efeito profundo no desempenho académico de um indivíduo, e depois na suas oportunidades de emprego”, diz Jon Grant, investigador da Universidade de Chicago.

 

Fonte: g1.globo.com

Envie-nos a sua mensagem

Contactos

  • 218 368 008

  • apoio@saindodadepressao.pt

  • Rua Dr. José Espírito Santo, Nº 36
    Chelas, Lisboa