O perigo de sofrer calado…

Fonte de Imagem: Adobe Stock

Aprenderam a ter de ser invencíveis, a não chorar, a aguentar com tudo… por isso, muitos sofrem em silêncio

Em casos de depressão, é um facto que os homens pedem ajuda mais tarde do que as mulheres. Porém, agora que, mais do que nunca, a doença mental tem vindo a perder o estigma, muitos compreendem que não são malucos, vivem, sim, nos sítios mais negros da alma…

Em Portugal, estima-se que cerca de 500 mil pessoas sofram de depressão. Todavia, nos homens, os diagnósticos são feitos numa fase mais tardia. “Tendem a negar sintomas depressivos, expressam emoções com mais dificuldade e ‘depressão’, provavelmente, significa quebra da imagem de masculinidade e gera vergonha, por isso, é mais frequente esconderem os sintomas durante mais tempo. Os homens podem, mais do que as mulheres, iniciar abuso de álcool, de drogas, ou ter comportamentos de risco como sintomas iniciais de depressão”, explica o psiquiatra Serafim Carvalho.

Mil pessoas puseram termo à vida em Portugal em 2017 (dados do Instituto Nacional de Estatística), 74% do sexo masculino. “A explicação é simples: como os homens não pedem ajuda, sofrem mais e em silêncio e explodem em última análise com a ideação suicida. O comportamento mais comum e sintomático do mal-estar emocional nos homens é a agressividade e impulsividade. As mulheres, ao procurarem mais ajuda, conseguem encontrar o equilíbrio emocional mais frequentemente e mais atempadamente”, conclui Pedro Brás, psicoterapeuta e CEO da Clínica da Mente.

Infelizmente, o número crescente de casos tem sido uma realidade verdadeiramente alarmante, por isso, se desconfia que esteja a estiver a sofrer de depressão, a alimentar pensamentos autodestrutivos ou, simplesmente, necessitar de falar com alguém, procure o Centro de Ajuda mais próximo, pois estamos aqui para ajudá-lo. Ligue-nos para a nossa linha de atendimento gratuito 24h: 218 368 008 ou pelo whatsApp: 918 617 038.

Fonte: noticiasmagazine.pt

 

Envie-nos a sua mensagem

Contactos

  • 218 368 008

  • apoio@saindodadepressao.pt

  • Rua Dr. José Espírito Santo, Nº 36
    Chelas, Lisboa